domingo, 28 de fevereiro de 2010

O menino regressou de Paris...

Partiu na carreira, com a alma cheia de desejos...
Mas agora ele regressou, com a alma cheia ... Não se sabe bem do quê... Ele não foi a Las Vegas, por isso não podemos usar a máxima "O que acontece em Vegas, fica em Vegas!", mas uma coisa posso dizer, algo aconteceu...
Na carreira foi divertido, muita brincadeira, brejeirice, bom vinho, boa comida, como manda a boa etiqueta portuguesa, mas continuo a dizer que só seria uma carreira a sério se levasse as galinhas e os marranitos (os únicos que iam, já estavam mortos e assados).
Lá chegou a Paris, sem acidentes de percurso, pronto para tudo, expectativas elevadas...
Fez tudo o que devia ter feito, o roteiro todo, foi a todo o lado, não falhou um ponto importante, museus, monumentos, bons restaurantes, embeiçou-se por uma magrebina, fez tudo e tudo e tudo, só ficou por fazer aquilo que realmente queria fazer (faço-me entender?)...
Assim regressa o menino de Paris, onde fez tudo o que devia ter feito, regressou de carreira, as quatro rodas que o levaram, foram as quatro rodas que o trouxeram, inteiro por fora, partido por dentro, com o desejo que todos nós trazemos depois de uma grande viagem que não corre como gostaríamos, o desejo de ter feito tudo ao contrário...

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Os rapazes que não deviam sair à noite!

Se alguém hoje em dia precisar de uma injecção de estupidez aguda, só tem um remédio, sair à noite! Vê-se de tudo e de nada também (realmente é o de nada que me assusta!).

Tenho a certeza que existem inúmeras dissertações, artigos, post´s, comentários sobre a noite, nas suas mais variadas vertentes, mas a que eu quero abordar hoje é: Os rapazes que não deviam sair à noite!

Dei por mim a observar uns quantos espécimes do sexo oposto, analisei o comportamento, a atitude, a postura e digo-vos senhores e senhoras, com toda a solenidade, deitei literalmente as mãos à cabeça! Estamos perdidos! Estamos condenados! Estamos tramados!

Espécime 1: Rapaz na casa dos 25 anos (já com idade para fazer a barba), magro, desengonçado, óculos femininos, a dançar parecia uma cana isolada num canavial ao vento, trejeitos nas mãos que espero bem serem da coreografia, mas o pior, a camisa vermelha dentro das calças!! Medo!

Espécimes 2 e 3: Dois homens, um na casa dos 40 outro dos 30, em par (mas não casal), dois predadores, dois caçadores da noite, tipos elegantes, low profile, olhar penetrante, a vasculhar tudo, a observar a carne, a escolher. Este é o exemplo clássico da noite: os gajos do sacanço...

Espécime 4: O pseudo intelectualoíde. Tipo sem idade, a fugir para o reboludinho, óculos de massa escura, barba, que tenta compensar a falta de brilhantismo físico com uma inteligência e cultura geral acima da média (se bem que hoje qualquer pessoa que leia a necrologia do jornal já é acima de média, só pelo simples facto de ler). Este é o tipo que me dá mais gozo descrever, porque também é o que se pode adjectivar mais. Normalmente tem como plateia miúdas giras, que não percebem patavina do que diz, o que acaba por ser bom, porque se meter os presuntos ninguém detecta. Não comete o erro crasso do espécime 1, que é dançar, ou sabe mesmo dançar ou então recorre a um leve balançar, para não se enterrar. Não comete o erro dos espécimes 2 e 3, que é estar literalmente a fazer um inventário da carne disponível, observa dissimuladamente, finge-se desinteressado, para assim parecer mais misterioso e "indisponível". Provavelmente é o que tem mais sucesso.

Agora perante este cenário, digam-me, estamos ou não estamos tramados?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O mundo Fajuto

Já alguma vez vos aconteceu ficarem parados e ver o mundo a continuar em slow motion?

Já alguma vez deram pela vida a correr a vossa frente, sem que nada a trave e sem que vocês consigam tirar o proveito dela?

Já alguma vez sentiram aquela impotência esmagadora de não conseguir mudar o rumo das coisas?

Já alguma vez sentiram viver num mundo faz de conta? Em que o era não era?

Pois eu digo, usando a gíria brasileira, vivemos num mundo fajuto... Um mundo as avessas, com as costuras tortas voltadas para fora, um mundo que leva ao desengano...

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Rugas de expressão


Estava eu no outro dia a mirar-me ao espelho (o rosto, para ser mais específica) e reparei em algo que não devia lá estar. Apeteceu-me gritar: "fui mutilada durante o sono!", mas achei melhor não, então respirei fundo, contei até cem (na esperança da "coisa" desaparecer), voltei a contar até cem, porque sempre troquei os sessentas com os setentas (mas eles são tão parecidos, caramba!), voltei a olhar para o espelho e não é que aquilo continuava lá!!!
Comecei a respirar muito depressa, porque a única conclusão que podia tirar era tão evidente, mas tão evidente, a coisa era uma ruga! UMA RUGA!

Sabem que a palavra ruga deriva do grego rua? Pois aquilo para mim parecia uma auto-estrada!

Mas não podia esconder-me, nem ignorar que tinha acabado de dar o primeiro passo de toda uma nova vida, a vida da luta desenfreada contra as rugas.

Armei-me em forte (traduzindo, ignorei a "coisa" o melhor que pude) e fui para a rua, cheia de medo dos olhares de escárnio.

Mas não me dei por vencida, falei com pessoas (mulheres), e cheguei a uma conclusão, a minha "coisa" não era só uma ruga, mas sim uma ruga de expressão!

Agora a parte das perguntas (como não podia deixar de ser), o que é uma ruga de expressão? É por sermos muito expressivos? É um castigo por ausência de expressão? São sinónimo de idade ou de experiência? Dão charme (se bem que sempre me disseram que charme é só para os homens que sabem envelhecer com pinta)?

Resumindo, tenho algo novo na cara, que ainda não me acostumei, mas que vem para ficar...

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

O menino vai para Paris de carreira...


O menino decidiu que ia a Paris....
Primeiro pensou em ir de avião (suspeito até que chegou a adquirir bilhete)...
Mas achou que avião era monótono demais, então decidiu ir de comboio...
Mas achou que o comboio era monótono demais, então pensou, pensou, voltou a pensar e decidiu: VOU DE CARREIRA!

Então aqui fica, uma fotografia da carreira para Paris, não tem galinhas (ficaram retidas por causa da gripe das aves!), não tem marranitos (ficaram retidos por causa da gripe suína), mas tem o mais importante, quatro rodas que vão levar o menino a caminho da aventura em Paris!

Vitória, vitória, acabou-se a história...
Acabar, acabar, não acabou... Falta saber como foi por lá... Mas isso é outra história...

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O Amanafadinho....

Não sei se estão familiarizados, ou se sequer ouviram falar do Amanafadinho, mas digo-vos, eles andam aí, são sete e vêm aos pares!

À primeira parece um termo fofinho, adorável, quiçá o nome de um urso de peluche… Mas não… O Amanafadinho não é nada daquilo que estamos à espera…

O Amanafadinho está em todo o lado, é discreto, figura calada, calma, calculista, mas que vai lançando a sua teia e (do)minando tudo…

O Amanafadinho é aquele tipo que substitui o órgão sexual pelo umbigo (como órgão mais importante do seu corpo)…

O Amanafadinho sorri sempre, sempre, sorri demais, com aquele sorriso fuinha de dentinho amarelo à espreita…

O Amanafadinho está sempre à escuta, sempre à espera que alguém dê um passo em falso, et voilá, aparece ele para dar o pontapé final…

Toda a gente tem um Amanafadinho na sua rede social, no seu prédio, bem próximo de si. Às vezes podem ser confundidos com animais de estimação (não querendo ofender nenhum animal)…

O Amanafadinho não tem um tipo físico padrão, tem uma capacidade de disfarce notável, pode ir do maior labrego ao maior pintas e nem damos por isso…

Hoje dei por mim a exercitar a capacidade de encontrar Amanafadinhos à minha volta, assustei-me, são muitos, demais, imensos... São tantos, a corroer, a minar, a mirar o umbigo… Uma ode ao umbigo…

Fica a pergunta final…
Sabes quem é o teu Amanafadinho de estimação?

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O senhor faz tudo!

Quantos de nós não recorreram a um profissional denominado de "senhor faz tudo"?

Ora vamos lá por partes:

1º Quem é o "senhor faz tudo"?
2º Pertence a alguma classe profissional?
3º O "senhor faz tudo", faz realmente tudo?

O conceito por si só é delicioso e dá asas à imaginação! Uma pessoa que faz tudo, tudinho! Realmente tudo! Era capaz de passar uma noite a escrever este tudo com gosto!

Depois de muitas conversas, perguntas, pedidos de opinião, consegui encaixar o "senhor faz tudo" numa categoria abrangente: aquelas pequenas coisas que toda a gente até saberia fazer mas que não se querem ralar!

Como é o "senhor faz tudo"?

Na minha cabeça o "senhor faz tudo" é moreno, baixo, atarracado, pouco cabelo e sempre oleoso, com um bigode fininho preto, barriga proeminente de respeitável homem de família, unhas do dedo mindinho comprida (para desenrascar as mais variadas situações). Enquanto cumpre as suas funções bebe uma cervejola (para matar a sede, evidentemente!), quando se dobra a calça de ganga coçada desce, mostrando um caminho sinuoso e peludo que ninguém quer ver.

Esta personagem faz parte do nosso imaginário, faz parte do nosso dia a dia, desenrasca-nos (este termo bem português, que me atrevo a dizer, sem tradução directa em nenhuma língua ou dialecto) e acode-nos nas mais diversas situações.

Deixo então a pergunta mais importante:
Será que o "senhor faz tudo" faz lasanha vegetariana?

P.S.: Agradeço relatos de experiências relacionadas com os "senhor faz tudo".

domingo, 7 de fevereiro de 2010

1º Registo

A ideia de iniciar este blog foi repentina, não foi pensada, esquematizada, foi algo espontâneo, resultante da necessidade de deitar cá para fora os pensamentos de uma Toto.

O primeiro conselho que me deram foi "não te tornes mais uma na blogosfera", conselho este cheio de sapiência, mas pergunto-me, como evitamos isso? Como nos destacamos no meio de milhares que aqui despejam os seus "sacos"?

Como nos destacamos no Speaker´s Corner da WEB?

Fica esta pergunta hoje, amanhã e os dias que foram necessários até descobrir a receita, mas entretanto vou-me limitar a debitar aqui os pensamentos de uma Toto...