segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Ele e Ela


- Olá, posso conhecer-te? - perguntou Ele.

- Porque me queres conhecer? - retorquiu Ela.


-Agradas-me... Brilhas... - respondeu Ele - Mas também... Hmmmm.... Não te quero incomodar...

- Podes incomodar, mas dúvido que me consigas conhecer... Eu estou aqui, mas sem estar... - disse Ela.


-Não me importo, eu vou-te buscar... - disse Ele.

- Vais-me buscar onde? - perguntou Ela.


- Onde estás, já lá estive, acredita em mim, dá-me a tua mão, eu trago-te de volta... - prometeu Ele.

- Não consigo acreditar, não te posso dar a minha essência, não a vais compreender... - defendeu-se Ela.


- Compreendo sim, a tua essência é igual à minha, és o meu todo, és o meu nada, eu sou tu, tu és eu.. Acredita... Dá-me a tua mão... - pediu Ele.


Ela piscou os olhos, olhou no fundo da alma dele, quis acreditar, quis dar a mão, mas a dúvida estava entranhada Nela, o medo consumia-a...


Ele olhou para os olhos Dela, abraçou-os com toda a sua paixão, todo o seu calor, todo o seu amor, pois ele sabia o caminho, o caminho tortuoso que a Deusa da Felicidade reserva para os apaixonados.


- Acredito em ti, toma a minha mão, vai-me buscar e leva-me... - suspirou Ela.

- Vem então... - delirou Ele.