terça-feira, 19 de outubro de 2010

Momentos mudos


Nem sempre temos que rimar para escrever poesia, começou assim a conversa.

Eu sei que a poesia não é só rima...
Sei que as palavras rimadas nem sempre são as mais bonitas...

Mas quando as palavras se juntam, se tornam cúmplices, quando namoram entre si, para passar uma mensagem, estamos perante um momento soberbo...

Mas os momentos também têm que ser ausentes de palavras...
Momentos mudos...
Cheios de algo que nem as palavras rimadas explicam...

Momentos que se sentem, que se vivem...
Que nos trespassam a alma...
Momentos que nos levam tudo e nos deixam vazios, perdidos...

Existe alguma palavra que explique a sensação que uma lágrima provoca, quando corre contrária ao arrepio que nos percorre o corpo?

Existe alguma palavra que explique o cruzar do olhar perdido com o pôr do sol solitário no horizonte?

Sei que a poesia não se faz de palavras rimadas...

Para mim a poesia está nos momentos mudos...

Aqueles momentos em que não sei escrever, que as palavras fogem velozes da ponta dos meus dedos...
Está nos momentos em que me limito a sentir, em que sou transportada para mundos cheios de momentos mudos...

Estes momentos são pura poesia..
Poesia que nunca irá ser escrita...
Poesia que nunca vai ser contada...

A poesia está cativa nas palavras que não podemos dizer, que não ousamos dizer...
Está presa dentro de mim, amarrada por mil cordas invisíveis...

2 comentários:

  1. se isto é escrita tropega os poetas deste pais que me desculpem, mas comecem a escrever qualquer coisa melhor!Força amiga estás no bom caminho!

    ResponderEliminar